Programa deficiente do governo deixa pelo menos 104 presos sem monitoramento em Rondônia

0
546

É de absoluta gravidade a informação encaminhada pelo diretor-geral de Monitoramento Eletrônico da Casa de Prisão Albergue Masculino em Ji-Paraná, Leandro de Assis Ferrão, ao responsável pelo sistema penitenciário de Rondônia.

Ele pede, em caráter de urgência, que Célio Luiz de Lima interceda junto à Central de Monitoramento para que sejam disponibilizados equipamentos eletrônicos à unidade a fim de suprir a carência na instituição penitenciária.

Por fim, Ferrão alerta para o fato de que lá, atualmente, pelo menos 104 presos não estão sendo monitorados por conta de deficiência no programa no sistema Synergye.

“Portanto não é possível verificar possíveis violações cometidas deixando os infratores impunes”, declarou.

Considerando a notícia publicada pelo site Rondoniadinamica, a direção do SINGEPERON vem a público se manifestar:

1. Acompanha com preocupação as más condições de prestação de serviços de monitoramento de apenados, o que coloca em risco a sociedade rondoniense;

2. Reitera a preocupação com uma terceirização irresponsável de prestação de serviços inerentes ao Estado, de modo a comprometer a própria execução penal;

3. Insiste no seu papel vigilante contra a situação e roga ao MPE e TCE que apurem as condições de tais serviços.

Veja a íntegra o memorando

 

 

Fonte: Com informações Rondoniadinamica