Conheça um pouco da história dos agentes penitenciários de RO na luta em prol de valorização

0
400

O Agente Penitenciário não ingressa no serviço público através de anuncio de jornal, e sim através de concurso público, prova escrita, física, psicológica, pratica, curso de formação profissional e investigação social, onde nem todos resistem ao estresse emocional. Para só então desempenhar serviço de grande relevância para segurança da população de dentro dos muros das prisões na 2ª profissão mais perigosa do mundo.

Para muitos o trabalho do agente penitenciário é somente abrir e fechar cadeados, mas não existe hora de almoço, lanche nem ao menos podemos dormir, TEMOS HORARIO PRA ENTRAR, MAS SEM A GARANTIA DE QUE IREMOS TER A CHANCE DE SAIR!

Fomos habilitados a andar e a desenvolver as atividade tendo a missão de manter a ordem e adisciplina nas mais diversas anormalidades encarando motins e rebeliões.No interior das carceragens convivemos com as mais diversas situações de perigo, tem presos com sarnas, HIV, tuberculose, etc.

Nossa categoria é composta por bravos homens pais de família, dignos de respeito e honrarias, a noite enquanto dorme a população, fazemos rondas dentro das carceragens onde nos deparamos com assassinos, assaltantes, latrocidas, estupradores, estelionatários e os mais diversos perfis de criminosos. Ninguém percebe mais dentro das prisões cumprimos nosso dever, o criminoso preso sai da rua, mais em sua mente o crime continua.

A justiça o condenou mais ele não morreu e quem fecha as grades e bate o cadeado é o agente penitenciário, somos nós que diariamente enfrentamos a massa carcerária de frente com todo tipo de criminoso, vários regimes para vários tipos de crimes, cada um com seu grau de periculosidade de acordo com o mal que fizeram a sociedade.

Cada quadrilha tem seu reduto na cidade, facções e regiões em conflito em qualquer lugar podemos ser reconhecidos é fácil encontrar na rua um presidiário é fácil ser atocaiado no trajeto de ida e volta do trabalho.

AGENTE PENITENCIÁRIO BRAÇO FORTE DO ESTADO DENTRO DOS PRESÍDIOS, VOCÊ PODE NÃO VER MAIS ELE CONTINUA CUMPRINDO SEU DEVER!

 SAIBA A VERDADE DO QUE ESTÁ ACONTECENDO

Sindicato dos Agentes Penitenciários tem greve marcada para a próxima quinta-feira…

GREVE DOS AGENTES PENITENCIÁRIOS E SOCIOEDUCADORES: Desembargador do TJ/RO atende pedido do Singeperon e designa audiência de conciliação com Estado

O desembargador Roosevelt Queiroz Costa, na manhã desta quarta-feira, 10, concedeu uma liminar (decisão provisória), na Ação Declaratória n. 0801150-04.2017.8.22.0000, impetrada pelo Estado de Rondônia contra o Singeperon.

Assessoria
Publicada em 10 de maio de 2017 às 14:23

O Desembargador do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ/RO), Roosevelt Queiroz Costa, expediu decisão nesta quarta-feira (10), nos autos do Dissídio Coletivo de Greve, designando audiência de conciliação entre o Estado de Rondônia e o Sindicato dos Agentes Penitenciários e Socioeducadores (Singeperon) para o próximo dia 26 de maio, às 10h, na sede do Tribunal.

A decisão atende requerimento do Sindicato no processo, que foi reforçado em visita ao Desembargador, na manhã de terça-feira (09). Na ocasião, o presidente da entidade e os advogados registraram que “a mediação é essencial e garante  segurança jurídica aos filiados”, considerando que o Estado sempre descumpriu tratativas firmadas com as categorias.

A ação foi proposta pelo Estado na segunda-feira última (08) e na mesma data a entidade sindical já juntou manifestação preliminar com diversos documentos que mostram que os pleitos dos servidores são justos, por meio do escritório Fonseca & Assis, especialista em direito sindical.

Em sua decisão, o Des. Roosevelt destacou que “é necessário que seja estabelecido diálogo entre o Estado de Rondônia e o Sindicato da categoria a fim de que possam entrar em acordo acerca das reivindicações dos servidores”.

E, sob a justificativa de que se tratam de serviços essenciais que colocam em risco a segurança pública, o Desembargador concedeu a liminar solicitada pelo Estado para impedir, por ora, a realização da greve programada pelos servidores do Singeperon e consignou ainda que a medida pode ser revista a qualquer tempo.

ASSEMBLEIA GERAL

Logo após tomar ciência da decisão, o presidente do Singeperon, Sidney Julio de Andrade, reuniu a diretoria e a assessoria jurídica para análise e encaminhamentos. Na ocasião, entenderam pela imediata convocação de Assembleia Geral para a presente data, às 19h, na sede do Singeperon, visando dar ciência às categorias sobre todo o teor da decisão e deliberar sobre a condução, de forma democrática entre os filiados.